O QUE É DPS?

Conheça os dispositivos de proteção contra surtos e como eles protegem os seus equipamentos contra curtos circuitos causadas por raios.

Dispositivos de proteção contra surtos (DPS) são equipamentos desenvolvidos com o objetivo de detectar sobretensões transitórias na rede elétrica e desviar as correntes de surto. Estes distúrbios são mais comuns do que muitos imaginam, ocorrendo diariamente em ambientes residenciais, comerciais e industriais. Mas como eles são gerados? Que tipo de danos os surtos elétricos podem causar? Qual é a melhor proteção para os nossos equipamentos?

Essas e várias outras dúvidas serão esclarecidas a seguir, de maneira simples e prática. Siga conosco!


O QUE É O SURTO ELÉTRICO?

Surto elétrico é uma onda transitória de tensão, corrente ou potência que tem como característica uma elevada taxa de variação por um período curtíssimo de tempo. Ele se propaga ao longo de sistemas elétricos e pode causar sérios danos aos equipamentos eletroeletrônicos.


DE ONDE VÊM OS SURTOS ELÉTRICOS?

Os surtos elétricos são normalmente causados por descargas atmosféricas, manobras de rede e liga/desliga de grandes máquinas. Saiba mais sobre cada tipo de situação.

1. Descargas Atmosféricas

Sempre que um raio cai, seja diretamente ou próximo a uma instalação ou rede elétrica, são gerados surtos. Eles podem chegar até os aparelhos conectados às redes elétricas, linhas de dados (como internet e TV a cabo) e linhas telefônicas. A grande maioria dos surtos gerados por raios são ocasionados por descargas indiretas, ou seja, mesmo que o raio caia a quilômetros de distância, essa incidência gera um campo eletromagnético que irradia pelo ambiente e transfere uma parcela do raio ao encontrar condutores metálicos.

2. Manobras de Rede

Outra origem bastante comum do surto elétrico se dá quando companhias energéticas fazem chaveamentos ou manobras de redes, causando a interrupção da distribuição de energia em determinados bairros ou ruas. Não apenas os blecautes, conhecidos popularmente como apagões, mas também as tentativas de religamento são grandes fontes de distúrbios eletromagnéticos, incluindo o surto elétrico.

3. Liga/Desliga de Máquinas

O que a grande maioria das pessoas não sabe é que os surtos elétricos acontecem de maneira cotidiana devido também ao ligar e desligar de grandes motores. Os surtos podem ser gerados tanto por elevadores em prédios comerciais e residenciais quanto por equipamentos ainda mais comuns, como aparelhos, tais como ar condicionado ou máquinas de lavar. Todas as vezes que são ligados e desligados, esses motores geram sobretensões transitórias que podem causar danos imediatos, a médio e longo prazo, aos equipamentos conectados à mesma rede de energia.


QUAIS DANOS OS SURTOS ELÉTRICOS PODEM CAUSAR?

Os principais danos causados pelos surtos elétricos são a degradação de componentes; a diminuição de vida útil de equipamentos eletroeletrônicos e até mesmo a queima instantânea desses aparelhos. Como explicado acima, existem situações difíceis de se prever, como a queda de um raio, mas há também cenários rotineiros onde equipamentos de alta tecnologia e grande valor para o dia a dia podem ser danificados, causando prejuízos imensuráveis.


QUEM ESTÁ EXPOSTO A ESSE TIPO DE PROBLEMA?

Absolutamente todos os ambientes que possuam equipamentos conectados à rede elétrica ou linhas de dados, como telefonia, internet e TV, estão expostos aos malefícios dos surtos elétricos. Temos exemplos em diversas esferas.

Grandes companhias de energia sofrem diariamente com queimas de transformadores causadas por surtos elétricos. Operadoras de telecomunicações (serviços de telefonia, banda larga de internet e TV por assinatura) arcam com enormes prejuízos anuais devido a queimas de modems e decodificadores, especialmente pela ocorrência de raios e apagões na rede elétrica. Empresas, indústrias e instituições dos mais variados portes e segmentos acumulam grandes perdas com reparo, deslocamento de equipes técnicas, manutenção e reposição de equipamentos eletroeletrônicos avariados pelos surtos elétricos.

Da mesma forma, eu, que estou redigindo este artigo em meu laptop, e você, que está lendo em seu smartphone, computador ou tablet, estamos à mercê dos danos causados pelos surtos. Eles podem danificar equipamentos essenciais para o nosso dia a dia, como geladeiras, fogões, freezers, microondas, TVS, modems de internet, receptores de tv a cabo, câmeras de segurança, portões eletrônicos, interfones e muitos outros tipos de aparelhos — claro, desde que não estejamos utilizando a proteção certa para esse tipo de problema.


O QUE É DPS E COMO ELE PROTEGE OS EQUIPAMENTOS?

Muito conhecida por profissionais do setor elétrico, como engenheiros, eletricistas e montadores de painéis, a sigla DPS, infelizmente, ainda não faz parte do vocabulário da grande maioria da população brasileira. Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos são equipamentos desenvolvidos para detectar a presença de sobretensões transitórias na rede e drená-las para o sistema de aterramento, antes que atinjam os equipamentos eletroeletrônicos.

Os dispositivos de proteção contra surtos podem ser utilizados em diversas aplicações, sendo elas redes de distribuição de energia elétrica, proteção de transformadores e luminárias urbanas, linhas de telecomunicações, tubulações de companhias de óleo e gás, painéis de energia solar fotovoltaica e quadros de distribuição de edificações comerciais, residenciais e até mesmo conectados às tomadas, acoplados aos equipamentos que desejamos proteger.


Existem três classes de DPS:


Classe I – Dispositivos com capacidade de corrente suficiente para drenar correntes parciais de um raio. É a proteção primária, utilizada em ambientes expostos a descargas atmosféricas diretas como áreas urbanas periféricas ou áreas rurais. São instalados nos quadros primários (QGBT) de distribuição.

Classe II – Dispositivos com capacidade para drenar correntes induzidas que penetram nas edificações, ou seja, os efeitos indiretos de uma descarga atmosférica. São utilizados em áreas urbanas e instalados nos quadros secundários de distribuição.

Classe III – Dispositivos destinados à proteção fina de equipamentos, instalados próximos a eles. São utilizados para a proteção de equipamentos ligados à rede elétrica, à linha de dados e linhas telefônicas.



CONTATOS

R. Everes Augusto Figueiredo dos

Santos, nº 71.

Sapucaia do Sul - RS, Brasil.

(51) 3106-7611

contato@autotecrs.com.br

TRABALHAMOS COM

RECEBA NOVIDADES:

CONTATOS E ORÇAMENTOS